Uma profissional da área da saúde em uma mesa com alguns legumes dispostos, segurando uma prancheta com os dizeres: Dieta e Reeducação Alimentar: você sabe quais são as diferenças?

Dieta e Reeducação Alimentar: você sabe quais são as diferenças?

Data de publicação: 13/05/2019 12:00:00
Categoria: Dieta e Nutrição

Uma boa alimentação é fundamental para a manutenção de uma vida saudável e longe de doenças. Entretanto, a correria da rotina diária e a opção por alimentos gordurosos e muito processados acaba comprometendo a saúde, causando o sobrepeso e o desenvolvimento de doenças como a diabetes, a pressão alta e os problemas cardiovasculares.

A tentativa de perder peso e manter uma alimentação mais saudável pode levar as pessoas a optarem por dietas da moda, que podem causar resultados diferentes do esperado e colocar a saúde em risco. Por isso, é recomendada a busca por um profissional da saúde na hora de alterar os hábitos alimentares.

O que é dieta?
De acordo com o dicionário Michaelis, a palavra dieta tem significado histórico, relacionado ao modo de vida e à alimentação. Além disso, pode estar relacionada a um regime alimentício prescrito por um profissional da saúde, entre outros significados.

Porém as dietas são mais conhecidas como regras arbitrárias de alimentação em busca de emagrecimento. O grande problema é que essas dietas “milagrosas”, que prometem emagrecimento rápido, podem trazer riscos à saúde, por não contemplarem as necessidades básicas de nutrientes que o organismo adquire na alimentação.

Além disso, após o abandono dessas regras, sem uma reeducação alimentar, o corpo volta a ganhar peso, gerando o efeito sanfona – emagrecimento seguido de engorda. Por isso, para manter a boa saúde, a recomendação do Ministério as Saúde é que as pessoas busquem a ajuda de nutricionistas para orientá-las em uma reeducação alimentar, que deve ser aliada a exercícios físicos e a adoção de hábitos de vida saudáveis.

O que é reeducação alimentar?
Os profissionais da saúde, sobretudo os nutricionistas, defendem que a reeducação alimentar é a melhor forma de controlar a saúde e o peso. Na reeducação alimentar, os efeitos podem demorar um pouco mais a aparecer, mas os benefícios à saúde são maiores a longo prazo.

Neste tipo de dieta supervisionada e balanceada, alimentos saudáveis e mais nutritivos são introduzidos na alimentação diária, e novos hábitos alimentares são estimulados. Com a reeducação alimentar aprende-se a comer bem.

Como os hábitos alimentares são individuais, é recomendado que a reeducação seja feita com a supervisão de um nutricionista, que avalia as necessidades de cada pessoa individualmente.

Dicas básicas para uma alimentação saudável
Em 2014, o Ministério da Saúde lançou uma nova versão do Guia Alimentar para a População Brasileira, que fornece orientações básicas de como é possível alimentar-se melhor. No guia, as principais dicas giram em torno da valorização do preparo dos alimentos, deixando de lado as opções pré-preparadas, como alimentos congelados, em pó e enlatados.

Além disso, o manual recomenda a diminuição do uso de gorduras, sal e açúcar na cozinha, bem como alimentos processados e ultraprocessados, como queijos, conservas, biscoitos, salgadinhos em pacotes, etc. Como aliados da boa alimentação, o guia elege os alimentos in natura ou minimamente processados,como verduras, legumes, frutas e grãos.

Aproveitar o momento da refeição como oportunidade para comer com calma e interagir socialmente também deixa a alimentação mais prazerosa, de acordo com o guia, que orienta manter regularidade nos horários de alimentação, em locais adequados, longe de aparelhos eletrônicos e atividades profissionais.

Fontes:
Governo do Brasil
Ministério da Saúde
Portal DAB

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor técnico: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: