Um homem sentado em sua cama cabisbaixo e pensativo, com uma mulher ao fundo com semblante de decepcionada em alusão a uma possivel disfunção sexual por parte do homem, com os dizeres: Quais são as principais queixas e problemas sexuais masculinos?

Quais são as principais queixas e problemas sexuais masculinos?

Data de publicação: 08/05/2019 15:00:00
Categoria: Saúde do Homem

O momento da relação sexual pode ser íntimo e prazeroso, porém fatores como doenças crônicas, estresse, transtornos psicológicos, estilo de vida e maus hábitos podem prejudicar o desempenho sexual masculino. Entre os obstáculos mais temidos pelos homens na hora do sexo estão a impotência sexual e a ejaculação precoce.

Esses contratempos podem impor desafios para a vida a dois, mas a maioria deles é reversível, desde aqueles que são causados pelos problemas de saúde até os que requerem uma comunicação melhor entre o casal.

Disfunção erétil
Um dos principais problemas sexuais masculinos é a impotência sexual, que significa não conseguir manter uma ereção por tempo suficiente. Associada principalmente à idade, a disfunção erétil afeta um a cada quatro homens com 65 anos, enquanto o número de homens afetados até os 40 anos de idade é de apenas um a cada 50.

A impotência sexual pode ter causas físicas ou psicológicas, mas está principalmente associada à idade e às doenças cardiovasculares como a hipertensão, além do sedentarismo, a diabetes, o tabagismo e o colesterol alto.

Ejaculação precoce
A ejaculação precoce é outro transtorno comum na vida sexual masculina, e chega a atingir até 30% dos homens, em algum momento da vida. A principal característica desse problema é a ejaculação antes da penetração ou até um minuto depois dela.

A inexperiência sexual, preocupações ou outros conflitos psicológicos podem ser o motivo da ejaculação precoce, que pode causar frustração e insegurança, levando a transtornos psicológicos e até mesmo à aversão à intimidade sexual.

Ejaculação retardada
Rara, a ejaculação retardada é o oposto da ejaculação precoce, e faz com que o homem demore muito a atingir o orgasmo. Essa condição, que pode ocorrer durante a relação sexual ou masturbação, afeta menos de 3% da população masculina, e pode ter causas psicológicas ou físicas.

Problemas de saúde como diabetes, esclerose múltipla, cirurgias na região pélvica, e o uso de medicamentos para tratar depressão podem causar a ejaculação retardada. O tratamento depende da origem da condição, que não afeta a capacidade do homem de manter a ereção ou sentir desejo sexual.

Há casos em que o homem não consegue ejacular de maneira alguma, condição conhecida como anejaculação. Anomalias congênitas, lesões e cirurgias podem ser as causas desse problema, sobretudo quando o homem nunca ejaculou na vida. Muitos homens nesta situação também sofrem com a anorgasmia, já que não conseguem atingir o orgasmo.

Que doenças podem causar disfunção sexual?
Algumas condições físicas podem afetar o desempenho sexual masculino, principalmente as doenças cardiovasculares. A hipertensão, o sedentarismo, a diabetes, a obesidade e o tabagismo são fatores de risco para problemas como a disfunção erétil.

Outro fator que influencia o aparecimento de disfunções sexuais são as condições psicológicas. A depressão, a ansiedade e o estresse crônico são fatores de risco, assim como o medo de falhar, comum entre homens inexperientes ou que já tiveram dificuldades durante as relações sexuais. A falta de diálogo entre parceiros, a fadiga, as preocupações ou o medo de envolvimento emocional também podem ter um papel negativo, prejudicando o momento de prazer.

Como tratar as disfunções sexuais masculinas?
As disfunções sexuais masculinas podem ser tratadas de várias formas, dependendo de suas causas. É importante buscar a ajuda de um urologista, sobretudo para determinar a fonte do problema. Doenças crônicas podem ser mantidas sob controle, enquanto fatores como o envelhecimento podem ser tratados por meio de medicamentos.

Quando o impedimento é psicológico, é necessário buscar a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra para determinar o melhor tratamento. Realizar atividades físicas, evitar álcool e drogas, parar de fumar e adotar práticas alternativas como a acupuntura e meditação podem ser estratégias valiosas para melhorar a atividade sexual.

Fontes
Biblioteca Virtual em Saúde
Healthline - 1
Healthline - 2

Tradutora e Redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Geral: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: