Uma mulher empurrando um carrinho de supermercado no corredor de um supermercado observando os produtos expostos, com os dizeres: Você sabe como ler os rótulos dos alimentos?

Você sabe como ler os rótulos dos alimentos?

Data de publicação: 22/04/2019 19:50:00
Categoria: Alimentação e Nutrição

Por Adda Bjarnadottir

Encontrar informações de saúde realmente necessárias nas embalagens de alimentos pode ser uma tarefa complicada. Muitas vezes, o conteúdo complexo e truques utilizados pelos fabricantes podem levar a escolhas nem tão saudáveis assim. Saiba como diferenciar alimentos saudáveis dos meramente industrializados.

Desconsidere as informações destacadas
Por vezes os fabricantes podem usar a frente da embalagem dos produtos alimentícios para destacar informações que não são tão importantes. Utilizadas para induzir a compra, elas podem esconder detalhes importantes, como a adição de açúcares e gorduras – o que faz com que o alimento seja menos saudável.

Além disso, elas podem distrair o consumidor das informações que realmente importam, no verso da embalagem.

Estude a lista de ingredientes
Os ingredientes listados na embalagem do produto são organizados por quantidade: do maior para o menor valor. Assim, uma dica eficiente para avaliar a qualidade de um alimento é estar atento aos três primeiros ingredientes da lista, já que eles compõem a maior parte do produto.

Se no topo da lista estiverem grãos refinados, açúcares e gordura hidrogenada, o alimento pode não ser tão saudável e é melhor evitá-lo. Uma lista longa de ingredientes também pode indicar que o alimento é altamente processado e, portanto, menos saudável.

A presença de ingredientes integrais no topo da lista tende a ser um sinal de qualidade do alimento.

Cuidado com os tamanhos da porção
Muitas vezes a porção sugerida do produto não corresponde à quantidade total oferecida na embalagem. Assim, a quantidade de produto consumida em uma refeição pode até dobrar as calorias indicadas na tabela nutricional.

É importante estar atento, pois a porção recomendada de um biscoito, por exemplo, pode ser um quarto do pacote, enquanto consumidores tendem a considerar as informações nutricionais para a embalagem inteira – o que leva ao consumo de mais calorias, açúcares, sal e gordura.

Informações que podem causar confusão
Light: São alimentos processados para reduzir a quantidade de calorias ou gorduras. Alguns alimentos podem adicionar outros ingredientes, como açúcar, para compensar no sabor ou textura do produto.

Multigrãos: Conter mais de um grão não torna o alimento integral. A dica é buscar pela informação de que os grãos são integrais, para evitar o consumo de grãos refinados.

Natural: Esse é apenas um indicador de que algum alimento natural foi usado na composição do produto alimentício, o que não significa que ele não é processado ou altamente processado.

Orgânico: É válido destacar que produtos como os açúcares orgânicos continuam sendo açúcares e, por isso, não devem ser consumidos com exageros.

Sem adição de açúcar: Alguns produtos são naturalmente ricos em açúcar, e o fato de que não receberam a adição não significa que são saudáveis, principalmente porque adoçantes podem ter sido usados no lugar do açúcar.

Baixa caloria: Mesmo que os produtos de baixa caloria sejam menos calóricos que as outras versões do produto da mesma marca, ele pode continuar sendo muito calórico, e ter calorias semelhantes ao original de outra marca.

Baixo teor de gordura: Essa informação no rótulo geralmente significa que a gordura foi reduzida e que houve acréscimo de mais açúcar. Tenha muito cuidado e leia a lista de ingredientes.

Low carb: Ainda que contenham poucos carboidratos, o que tem sido associado a melhorias para a saúde, alimentos processados continuam sendo alimentos processados e devem ser evitados na dieta cotidiana.

Feito com grãos integrais: Se os grãos integrais não estão no topo da lista de ingredientes, sua quantidade pode ser insignificante. Sempre verifique a lista no verso da embalagem.

Fortificado ou enriquecido: Isso significa que alguns nutrientes foram adicionados ao produto. Por exemplo, a vitamina D é frequentemente adicionada ao leite. No entanto, fortalecido não é sinônimo de saudável.

Livre de glúten: A ausência de glúten não significa saudável. O produto simplesmente não contém trigo, centeio ou cevada. Muitos desses alimentos são altamente processados e cheios de gorduras e açúcares não saudáveis.

Com sabor de frutas: O sabor de frutas em alimentos processados pode vir de produtos químicos e não da própria fruta. Por isso, é importante estar atento à lista de ingredientes.

Zero gordura trans: Esta frase significa "menos de 0,5 gramas de gordura trans por porção". Se os tamanhos das porções forem pequenos, induzindo consumo maior que o indicado na porção diária, o produto ainda pode conter gordura trans.

Os diferentes nomes do açúcar
Alguns fabricantes podem adicionar diferentes tipos açúcares à lista de ingredientes, para que não sejam percebidos. Além disso, o uso de açúcares combinados pode ajudar a esconder a presença desse ingrediente na tabela nutricional, por conta das pequenas quantidades.

Vários tipos de açúcar entre os ingredientes ou no topo da lista indicam alimentos ricos em açúcar adicionado. Confira os diferentes nomes do açúcar:
Xaropes são açúcares: xarope de alfarroba, xarope dourado, xarope de milho rico em frutose, mel, néctar de agave, xarope de malte, xarope de bordo, xarope de aveia, xarope de farelo de arroz e xarope de arroz.

Outros tipos de açúcares: malte de cevada, melaço, cristais de suco de cana, lactose, adoçante de milho, frutose cristalina, dextrana, malte em pó, etilmaltol, frutose, suco concentrado de fruta, galactose, glicose, dissacarídeos, maltodextrina e maltose.

Fonte:
Healthline

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Técnico: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: