Mulher depressiva segurando um copo de whisky

Cirrose: saiba quais são as causas e como diagnosticar a doença

Data de publicação: 24/01/2019 18:50:00
Categoria: Doenças e Sintomas

O fígado é um órgão vital para o funcionamento do corpo humano, responsável por produzir substâncias que auxiliam na digestão de alimentos e na metabolização de medicamentos, estocar nutrientes para o corpo, produzir proteínas para coagulação sanguínea e purificar o sangue. Além de todas essas funções, ele também tem a capacidade de regenerar células danificadas, porém, a renovação desse órgão tem limites.

A exposição a infecções e a agressões de longa duração, podem causar cirrose, uma das principais doenças do fígado, que na maioria dos casos resulta na necessidade de transplante.

Quais são as causas da cirrose?
O fígado é um órgão com propriedades regenerativas, mas quando as lesões e infecções se repetem com frequência, seu tecido se altera para uma forma mais fibrosa e endurecida por conta das cicatrizes. Esse enrijecimento do órgão causa dificuldades na circulação de sangue e faz com que suas atividades tornem-se deficientes.

Em geral, as principais causas dessas lesões no fígado são as hepatites virais e o consumo excessivo de álcool. De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2017, foram registrados mais de 40 mil novos casos de hepatite viral no país. Já os dados sobre alcoolismo, divulgados pela Organização Mundial da Saúde, a OMS, indicam que pelo menos 5% das mortes registradas no mundo em 2016 tinham relação com o consumo de álcool.

Outros fatores de risco para o desenvolvimento de cirrose são a diabetes, a obesidade, os fatores genéticos, a idade e o consumo excessivo de medicamentos.

Quais são os sintomas da cirrose?
As doenças do fígado são silenciosas, e justamente por isso são difíceis de serem diagnosticadas. No caso da cirrose, que é um quadro grave, os pacientes podem apresentar sintomas como: pele e olhos amarelados, inchaço e dores no abdome, inchaço nas pernas, fraqueza e emagrecimento, perda de apetite, mau hálito intenso, tosse e vômito com sangue e coceira na pele. Casos mais agudos podem incluir sinais como confusão mental e desenvolvimento de tecido mamário em homens.

Como é feito o diagnóstico?
O diagnóstico das doenças hepáticas, incluindo a cirrose, é feito por meio de análise do histórico do paciente, assim como exames físicos, nos quais o médico pode buscar por sinais como pele pálida, olhos amarelados e tremores nas mãos. Além disso, outros exames podem ajudar na investigação da doença, como os exames de sangue e imagem.

Complicações da doença
A cirrose não tem cura e, por isso, pacientes em estágios avançados da doença podem precisar de um transplante de fígado. Devido às más condições de funcionamento do órgão, os pacientes com a doença tornam-se mais sensíveis a lesões e sangramentos, podem desenvolver câncer de fígado, falência dos rins, aumento do baço, varizes no esôfago e resistência à insulina, além de sensibilidade a medicamentos.

Como evitar a cirrose?
A melhor maneira de evitar a cirrose é adotar um estilo de vida saudável, com dieta balanceada, prática de exercícios físicos e consumo moderado de álcool. Além disso, manter visitas regulares ao médico e não fazer uso de medicamentos sem prescrição de um profissional qualificado é fundamental.

Outro cuidado essencial é proteger-se das hepatites virais, que podem ser transmitidas por meio de relações sexuais ou contato com objetos contaminados por sangue – como agulhas e outros instrumentos perfurocortantes. Ainda, existem vacinas para as hepatites dos tipos A e B, oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Fontes
Healthline
Ministério da Saúde
Saúde - Editora Abril
Governo do Estado do Mato Grosso do Sul
Revista Galileu

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor técnico: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: